Saturday, April 19, 2014

[Reviews] Once Upon a Time - 3.17: The Jolly Roger


A maldição de um coração apaixonado.




Uma pausa nas loucuras e armações da bruxa má e um momento todo especial para finalmente tirar a dúvida do coração de todos nós. Fazia um bom tempo que um fantasma rondava nossas vidas. Um fantasma que não é verde e muito menos fã de chapéus pontudos e dança da vassoura. Esse fantasma se chamava medo da possível traição do Hook.

Não me canso de falar e não vou me cansar tão cedo, Hook tem química com qualquer coisa. Quer seja Emma, Tinker Bell, Regina, Ariel, os Uncharmings, até um navio ou um pedaço de corda, o cara domina a cena em qualquer aparição que ele faça. Acho que só esse fato já deve ser suficiente para explicar a quantidade de pessoas (incluindo eu) que torcem para que ele e Emma terminem juntos. Agora que a Zelena abusou do recalque e jogou a maldição do beijo proibido, podemos esperar situações de tensão mais fortes ainda entre esses dois. Uma pergunta: É só beijo na boca que tá proibido? Não querendo ser mente suja e tals, mas beliscão e apalpada tá liberado, né? De sede eles não morrem.

De qualquer forma, parece que nossa pergunta foi finalmente respondida, com alguns detalhes escondidos, mas respondida. Hook não está traindo Emma, ele realmente a ama e depois de ser amaldiçoado pela Zelena já podemos deduzir que ele não estava de conchavo com a bruxa. Algumas coisas ainda não ficaram claras. Do que Zelena estava se referindo quando disse da escolha do pirata? Tem alguma peça faltando. E tudo o que posso tirar desse episódio é que transformar o Hook, um personagem que originalmente nada mais era do que o vilão de Peter Pan, em alguém relacionável, um anti-herói, um irmão e em seguida um futuro par romântico para a protagonista, foi o maior e melhor acerto da série. E o resultado final desse episódio foi muito positivo, de deixar qualquer coração pelo menos mais morninho.

Sim, pensem o que quiserem, mas esse episódio acalentou meu coração negro e peludo. Once Upon a Time é uma série que gira ao redor dos contos de fadas e outras fábulas diversas, porém, quase nunca temos um verdadeiro final feliz. Ver que Ariel encontrou Eric e que os dois vivem felizes em uma ilha foi bom, mesmo. Me fazendo concordar com a Snow, as vezes é bom ter um pouco de felicidade. O clima pesado e sombrio da série permeou durante toda a metade da terceira temporada (e ainda está aqui), esse pequeno agrado aos fãs da belíssima Ariel e da talentosa JoAnna Garcia foi de abrir um grande sorriso. A verdade é que a atriz está atualmente filmando a série Astronaut Wives Club da ABC e obviamente não teria tempo para maiores participações na série, nada mais justo do que esse desfecho.

Mesmo sem a aparição constante da bruxa, o fantasma da sua presença ainda estava lá. Seria irreal a série nos enfiar um filler faltando apenas 5 episódios para o season finale, logo, transformar tudo aquilo que vimos em mais um ardil da Zelena não foi só inteligente,  foi uma boa forma de exemplificar como deve ser feito o aproveitamento de personagens e tramas. Sério, nem parece a mesma OUAT que nos enrolou por não sei quantos episódios com aquela ilha escura, com um monte de menino batucando e cheia de samambaias do começo da temporada.

E por falar em gestão de tempo, a série mais uma vez fez bem ao colocar Regina e Emma para passarem um tempo juntas. Uma bruxa só não vai ser capaz de vencer Zelena, logo, aproveitar o poder da salvadora é sim a maneira mais rápida e eficiente de lidar com o problema. Gosto quando a série cumpre seu papel de dividir os núcleos e contar boas histórias. Até mesmo os Uncharmings (o apelido pegou, desculpa) tiveram uma participação justa. Só fiquei com uma pequena dúvida, por que a Regina colocou um feitiço todo poderoso no puxadinho da Snow e do David se os dois iam em menos de minutos passear pela praia? Só por que a Zelena se fingiu de parteira não significa que ela só faça ataques a domicílio, certo?

Entretanto, Emma perder sua magia a altura do campeonato não faria muita diferença. Tanto que a pressa para fazer com que ela se torne relevante magicamente foi gritante. Se Zelena tirar seus poderes agora, ninguém, eu digo e repito, ninguém iria realmente sentir algum impacto. Logo, imagino que os treinamentos dela e da Regina continuarão pelo menos nos próximos episódios, preciso ver a Emma como alguém realmente relevante na arte da magia. Até curti o momento com o espelho, mostrando que mesmo com pouco treinamento ela já é capaz de fazer algo a mais que a Regina, mas não se enganem, já que isso só aconteceu para nos mostrar quão forte ela é. O problema é que se não tomarem cuidado as coisas vão ficar muito apressadas e sem sentido. Ou seja, aparentemente foi para isso que serviu o começo da terceira temporada. Certo? Dar um pouco de embasamento nessa magia nova e diferente da salvadora e seu treinamento com a mestra Regina. Bom, eu quero acreditar que sim.

É pessoal, vamos agradecer de pé, mesmo quando o foco do episódio sai de cima da Emma e da Regina e centraliza em dois personagens secundários o ritmo permanece. Assim que assisti aos promos fiquei com medo, muito medo mesmo por que da última vez que a Ariel tinha recebido destaque a carga foi dividida com a Regina, que consegue fazer qualquer Snow sonhadora ficar mais interessante. Mesmo Hook tendo seu charme, um episódio inteiro dedicado a ele e Ariel foi a princípio meio preocupante, mas foi tudo indevido. The Jolly Roger não só foi bom, como foi emocional ao extremo e serviu para mostrar que a identidade do pirata permanece, um misto de Killian com Hook, aquilo que nos fez amar o personagem. Será que ‘The Tower’ vai se tornar o único episódio mais ou menos dessa 3B? Espero que sim.

Ps. Agora que todo mundo já sabe que a Zelena é a Wicked Witch, podiam parar de repetir tanto Wicked por episódio, né? Que tal Zezê? Ou Leninha? 

Ps². Zelena, a senhora é recalcada mesmo, viu.

Ps³. “Enquanto estamos aqui, quem está cuidando do Henry, os UNCHARMINGS?”. Regina, não existem palavras pra descrever meu amor por você.

Ps4. Quando Regina convidou a Emma para “praticar magia” no meio do mato, quantos fandons de SwannQueen entraram em combustão?

Ps5. Por que ainda estão listando o ator que interpretou o Neal nos créditos? Parem com isso, morreu acabou, tira dos créditos, tira da minha vida.

Ps6. Eu sou o xerife, vem cá, pode dirigir um carro no meio da cidade enquanto as pessoas andam pela calçada e outros carros pelas ruas. David, até tentando ser legal você é burro. Custava levar o neto para um campo aberto?

Ps7. Henry não me fez reclamar de Henry nesse episódio. Is this real life?

Ps8. “Nós somos divertidos”. Não Snow, vocês não são. Menos divertidos que vocês foi a luta entre o Hook e Barba Negra. Miraram na “cena legal” com sombras lutando na vela do navio e acertaram no ridículo.


Ps9. Ariel era a Zelena #BOOOM. Zelena, mais um ponto e você já vai poder pedir música no Fantástico. Parabéns! 


Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive