Wednesday, March 26, 2014

[Reviews] Once Upon a Time - 3.14: The Tower


Muito David pra pouca paciência.

Alerta de Spoilers!

Demorou um pouco, mas a série deu uma cambaleada. Mas o que mais eu poderia esperar de um episódio centrado no David? Afinal, esse Charming não anda encantando tem muito tempo. E quando a série coloca dois deles contracenando, até as bonecas no começo do episódio viram a cabeça em uma clara previsão de descontentamento e desespero.

Agora eu pergunto, por que foram modificar a raça da Rapunzel se era pra fazer um serviço porco daqueles? Uma princesa que poderia muito bem ter recebido um tratamento melhor na série ficou restrita a uma interação bem pobrinha com um David chato. Eu apoio totalmente essas trocas de etnia e até mesmo de gênero desses personagens clássicos, o que importa não é a raça ou sexo, mas sim a essência deles. Rapunzel não ganhou muito e serviu de base, da base para a história sem base nenhuma do David. E isso, por que eu já passei horas nos tumblrs da vida curtindo fotos com esse propósito de repaginar as princesas dos contos de fadas. Esperava mais dessa abordagem na série, bem mais e sei que não fui o único. Uma princesa sem atitude nenhuma.

Se bem que a série tem essa mania absurda de pegar personagens e simplesmente jogá-los no vazio depois de um episódio ou outro. Até entendo que o chá de sumiço da Tinkerbell seja justificado pelo fato da atriz ter conseguido outro emprego, mas por onde andam Cinderela e Ariel? Ou seja, depois de assistir esse ‘The Tower’ eu meio que fiquei grato por não ter gostado nem um pouco dessa Rapunzel, já que o provável é que não a veremos tão cedo. Imaginem se eu tivesse gostado da mesma forma que gostei da Ariel, sabendo que ela pode não dar as caras na série tão cedo? De partir o coração. Mesmo assim, não justifica, se é pra incluir a personagem que o façam bem feito.

A própria trama do episódio foi fraca, pelo menos para mim. Eu entendi que a raiz da noite servia a um propósito. Ela personificava seu medo transformando-o em uma réplica encapuzada da pessoa que a consumiu. Mas e como isso ajudou no processo de vitória? Cortar o cabelo e jogar a réplica ajudou mesmo Rapunzel a vencer seu medo de liderança? Teria sido mais interessante se para isso ela tivesse que sair da torre e confrontar mesmo seu medo, que a deixou isolada do mundo. Da mesma forma que David apenas percebeu que não deveria ter medo e a partir disso perfurou o coração da sua cópia e puff, se livrou da preocupação. Eu vejo tudo isso como preguiça de fazer algo mais elaborado, porém agradeço, pois já sei o martírio que foi o plot do coração da Snow. Ou seja, tudo indica que esse processo só foi utilizado para que o alvo final fosse alcançado e Zelena pudesse colocar as mãos na coragem do David.

E se prestarmos bem a atenção, esse simbolismo é totalmente ligado ao Mágico de Oz, onde David acabou se tornando o leão, vencendo seu medo e consequentemente entregando sua coragem nas mãos da bruxa. Sendo assim, ainda temos um coração e um cérebro para ela conquistar. Coração, talvez seja com a Regina, o que encaixaria o retorno da Emma para Storybrooke, levar Henry de volta para a Regininha poder encontrar seu verdadeiro amor. Cérebro é um mistério, por que até agora a única que esbanjou burrice foi a Snow. O próprio David desconfiou da presença da parteira milagrosa. Isso também justificaria o interesse de Zelena em Mary Margareth, mas ainda é inconclusivo e vários outros personagens já tiveram seus momentos de burrice, Rumpels mesmo está “sem cérebro”, se formos levar em consideração sua loucura. Assim, vemos que os ensejos dessa bruxa já tomaram forma, onde ela se posiciona como a total antagonista do Mágico de Oz, ao invés de dar presentes, ela os rouba.

E a coitada da Belle, que herdou a loja creepy do Rumpels e depois da interação com a Zelena simplesmente ficou lá, abandonada com a cara no canto da parede? Sabe, esse tipo de falta de tato que a série as vezes tem em seus episódios é até um pouco obscena. Nós já viramos os olhos pros efeitos toscos, não dá pra virar a cara pra esses detalhes. Só fico imaginando a ossada da moça sendo encontrada virada pra parede e levantando as maiores questões no CSI: Floresta Encantada.

Resumindo, apesar de ser centrado em David, o que salvou mesmo esse episódio foram os momentos fora da Floresta Encantada. Um pouco de Emma, um pouco de Hook e um pouco de Regina foram o suficiente para tirar todo o marasmo e tédio que o plot vença o seu medo teve. Não chegou a ser um episódio ruim, mas passou longe de seguir o que os dois últimos passaram.

Ps. Imaginando aqui o tanto de Kolene que a Rapunzel não devia gastar pra deixar aquele cabelo resistente. É um cipó que atende bem 2 pessoas. Bem mal tratado, mas atende bem.

Ps². A bicicleta que aparece na casa da Zelena é uma homenagem a bruxa do filme Mágico de Oz, a contraparte da bruxa má, Senhora Gulch, passeava em uma magrela daquelas.

Ps³. A ironia ao redor da casa é por que no filme a Dorothy mora em uma fazenda e como no Kansas é comum terem tornados, praticamente todas as propriedades tem abrigos como o que o Rumpels estava preso.

Ps4. Hook, provando que uma camada de pelo no peito é capaz de vencer qualquer frio. Abotoa essa camisa, meu filho, vai congelar os mamilos.

Ps5. Em qualquer outro lugar, o conselho seria: Crianças, não confiem em adultos que te oferecem sorvete e te levam para passear. A não ser que você seja o Henry, nesse caso você pode se abrir e contar tudo sobre sua família.

Ps6. Se Zelena for mesmo a filha de Rumpels, eu já vou incluir esse episódio no rol de situações constrangedoras entre pai e filha. Primeiro com o David e a Emma esbanjando química, depois com a Zelena barbeando o pai. Cruzes.

Ps7. Zelena comenta sobre seu pai ser um bêbado que gosta de manter as aparências. Seria esse o Mágico de Oz? Será pai adotivo? Quantas interrogações. 



Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive