Thursday, October 10, 2013

[Reviews] Agents of S.H.I.E.L.D - 1.03: The Asset


O nascimento de Graviton!


Alerta de Spoilers!

Agents of Shield já está entrando em um ciclo vicioso de episódios que começam lentos e arrastados e terminam com uma boa dinâmica. O problema é que a audiência continua a cair (mesmo que nessa semana tenha sido pouco) e acredito que esses minutos iniciais, que representam a metade do episódio, praticamente, sejam responsáveis por esse debandada que a série sofreu desde sua estréia espetacular (em números). 

Um ponto é muito importante e a série vem desenvolvendo bem. Se você embarcou nessa jornada por que já acompanhava as histórias em quadrinhos do universo Marvel, tenho certeza que os easter eggs e as referências estão te deixando feliz, digo isso por que eu sou um desses e testemunhar o nascimento do Graviton foi super legal. Por outro lado, se você não é fanboy, provavelmente as coisas tenham sido apenas Ok. Ou seja, falta um pouco de profundidade aos fatos apresentados, a conexão precisa atingir não apenas quem já consumia as comic books, mas uma nova parcela de pessoas que nunca teve contato.

E é exatamente nisso que a série peca. Apesar de que já é possível ver melhorias nessa dinâmica. O que mais precisamos em Agents of Shield é simpatizar com os personagens principais. Não dá para acompanhar uma série sobre uma equipe, se você não gosta de nenhum membro dela. Até certo ponto, conhecer melhor os personagens é bom, mas algumas informações foram bobas e mesmo sendo de certa forma relevantes, não precisavam de tanta atenção. Esse papo de criada no orfanato é meio velho. 

The Asset marca o principio desse trabalho de aprofundar a personalidade de nossa equipe especial. Sendo Skye e Grant os primeiros. Ainda simpatizo apenas com Coulson, Skye e May, mas já começo a detestar menos o Grant, só por causa do episódio dessa semana. O cara ainda é um chato, cheio de frescuras, mas sua interação com a Skye acabou deixando o carrancudo mais leve. 

Se por um lado a personalidade de Skye e Grant é aprofundada, a de Coulson reforça algumas tonalidades. Nos filmes ele sempre passou a imagem do cara que faria de tudo para salvar o dia, na série porém ele acabou ficando um pouco mais "paizão", menos ameaçador. Com um simples tiro no vidro ele impõe que matar é uma opção que ele considera. 

O mais legal da criação do Graviton, é que o responsável por isso foi o próprio Coulson. E convenhamos, criar um vilão abre um leque imenso de possibilidades para Agents of Shield. Mal posso esperar para ver os resultados desse episódio. Com certeza existirão reflexos, a série precisa logo de um vilão definido. Ficar esperando algo acontecer em relação a Skye e a pessoa secreta do outro lado do telefone é muita tortura.

Falta ainda um pouco mais de comprometimento com a obra a qual a série deriva. Por que podemos ter super heróis, aliens etc em Avengers e não podemos ter em Agents of S.H.I.E.L.D? Sempre temos referências aos filmes, desde o piloto, semanalmente alguém fala alguma coisa a respeito da invasão de Nova York, ou Tony Stark. Mas e a série? Por que não trazer alguns elementos vivos (não só tecnologia) dos quadrinhos? Vamos lá, não custa nada um super poderoso aparecer. Só a dica sobre Graviton no final do episódio não vale.

Mais uma vez brincaram com a ideia de que Coulson possa ser um ciborgue. Se não estivessem dando tantas dicas disso, eu até poderia apostar nesse hipótese. Mas depois de tantas falas direcionadas a nos fazer pensar sobre, eu começo a duvidar. Um pouco enferrujado, memória muscular, tudo nos levando a crer que esse agente é um robô. E pelo tom da série, fica praticamente impossível comprar essa informação enquanto ela é jogada dessa forma.

Nessa semana as coisas não foram lá muito interessantes para série, como eu disse lá em cima, só a metade final do episódio realmente ficou interessante. A série precisa urgente de um arco para sua temporada, isso vai nos dar um sentimento de direção maior, além da possibilidade de desenvolver os personagens de forma mais compreensível. Precisamos fugir um pouco do passado, chega de séries que abusam dos flashbacks. Quero ver a formação de uma equipe profissional, não a justificativa de por que esses agentes estão lá. E a maneira mais fácil para que isso ocorra é tendo um vilão estabelecido e uma ameaça a ser impedida.

Existem alguns erros que eu não consigo desprezar. Por que raios você vai transportar um cientista tão inteligente em um caminhão? Custava colocar o cara no avião que a equipe viaja? Ward ainda continua um pouco frígido demais, não tem um ar sexy, não tem um ar perigoso. O esforço de transformá-lo começa a se manifestar, mas talvez já seja um pouco tarde demais. A primeira impressão é a que ficou.

Ps. David Conrad, o último trabalho dele que eu me lembro tinha sido Ghost Whisperer. Interessante nesse papel de "vilão". 

Ps². May finalmente aceitou que não consegue ficar longe da ação. Demorou.

Ps³. Quando a série vai começar a apresentar as coisas legais que tinham na promo? Passou da hora.
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive