Wednesday, August 14, 2013

[Reviews] Devious Maids - 1.08: Minding the Baby


Um bebê pode salvar um casamento/vida?
Alerta de Spoilers!


Mais uma semana e mais um ótimo episódio para Devious Maids. Para comemorar, também foi noticiada a renovação da série para uma segunda temporada e a comemoração vai além, os número de audiência (para o canal Lifetime) tem sido ótimos, representando a maior do canal.

Por isso, a pergunta que ilustra a review será repetida. Pode uma criança/bebê salvar um casamento ou uma vida? Ao que parece, mesmo não tendo a resposta, é de senso comum que sim. Tudo caminhou tão bem nesse episódio, que eu até me esqueci dos problemas de atuação de uma certa atriz que eu já reclamei várias vezes. Parece até que ela melhorou.

Eu tenho muita pena da Evelyn, muita. Eu sei que ela tem uma grande parecela de culpa em tudo o que aconteceu debaixo do teto dela. Mas tudo isso foi por causa da perda de seu filho. Não sei até onde ela é culpada ou foi culpada (pelo marido) pela perda da criança. Mas as cicatrizes existentes nela foram tão profundas que só com a presença de outra criança na casa que tudo ficou mais brilhante para ela. Eu torço para que Adrian saia de cena e que Evelyn fique sozinha e sem a presença cáustica dele. 

Tenho meu pé atrás com a série quando penso no futuro dela. Digo novamente e quantas vezes for necessário, a série é boa, mas a forma como ela vem sendo conduzida até agora mostram que o futuro é tão incerto que é como se ela tivesse sido planejada para uma temporada, apenas.

Mas claro, ainda temos muito chão pela frente, ou pelo menos mais 13 episódios, como foi anunciado. Devious Maids cresceu e humanizou todas as suas empregadas. Fazendo-as passar de simples domésticas. Era isso que faltava a série para que ela desse profundidade as personagens e mais abertura para as atrizes.

Marisol é o tipo de personagem que se destaca por que é tão inteligente, que todas as outras parecem menos do que ela. É engraçado ver isso. Mas foi graças a Rosie, que ela percebeu o quanto de si mesma ela está perdendo. O "faço tudo" pelo meu filho a está transformando em uma mulher que só pensa em si mesma. Só agora ela recebeu aquela dose de humanização necessária para perceber que as outras empregadas também sofrem e tem problemas assim como ela. Não na mesma proporção, claro, mas ainda são pessoas. Esse carater faltava a Marisol.

Outra personagem que também estava precisando deu uma boa dose de sentimentos bons era Carmen. Gosto dela e da Odessa juntas, tanto que acho que a presença do patrão só deve ser levada em conta por causa do shirtless. Quem faz toda a diferença são as duas, uma amizade começa a se desenvolver, mas não podemos nos esquecer de uma coisa, essa é uma série do Marc Cherry. Lembrem-se, elas podem estar de bem uma com a outra agora, mas é só uma questão de tempo até que o conflito as separe. 

Já na casa de Genevieve o problema era outro. Claro, casar com um cego e mentir a idade é até compreensível, mas casar com um cego, mentir a idade e não dizer que já está na menopausa, é sacanagem das grandes. Zoila é a única personagem que já havia recebido suas doses de sentimentalismo e humanidade antes das amigas, por isso, esse foi mais um episódio para focar na patroa e nas suas armações. Só fiquei um pouco triste por ela ter se amarrado logo de cara ao primeiro pretendente que apareceu, eu acho que seria mais divertido ver Genevieve rodando por vários pretendentes difertentes até achar aquele que realmente vá salvar a coroa da falência.

No geral, esse foi um ótimo episódio para série. Tratou de humanizar todas as personagens em uma boa dose de sentimentalismo. Até mesmo o drama envolvendo o dvd no cofre foi solucinado. Fiquei feliz por isso, agora falta saber até onde Marisol está disposta a ir, e quanto da sua personalidade e bondande ela está disposta a sacrificar em nome da liberdade do filho. Ainda teremos muito mais drama e comédia, sem precisarmos nos preocupar com um cancelamento. 
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive