Monday, July 29, 2013

[Reviews] Pretty Little Liars - 4.07: Crash And Burn, Girl!


Andando em círculos.


Foi lindo ver Toby e Caleb trabalhando juntos nesse episódio, mas no fim acabamos não indo a lugar nenhum. É isso o que mais incomoda em PLL, será que algum dia essas pistas vão realmente servir de ajuda? Porque até agora só serviram pra confundir ainda mais e fazer as personagens (e os telespectadores) de trouxas. É uma tremenda maldade colocar o Caleb pra ajudar, dando a impressão de que ele e Toby poderão fazer isso mais vezes, sendo que sabemos de sua iminente saída para Ravenswood.

Pra começar, a ideia de rastrear o plano de voo do avião de Chapeuzinho Vermelho foi ótima. Quando o Nigel Wright soltou o nome da CeCe, eu suspeitei que ele estivesse mentindo. Quem pagou pra ele fraudar o plano de voo do avião daquela noite, com certeza deu o seu jeito pro rapaz não abrir o bico e falar o nome de uma outra pessoa quando fosse questionado, no caso, o da CeCe. Reparem que no fim do episódio, vemos Nigel oferecendo café a alguém e é possível ver uns óculos em cima da mesa, e esses óculos trouxeram rapidamente o nome de Jenna a minha cabeça. De fato era Jenna. Pra quem não se lembra, Nigel era o acompanhante da Jenna no velório do Wilden. Acho que a Shana ainda não sabe disso... Enfim, essa história de quem estava no avião pode surpreender positivamente se for bem desenvolvida. Será que foi a CeCe quem deu o dinheiro pra ele fraudar o plano de voo? CeCe só pagou, ou era também a passageira que John Smith levava? Onde Jenna entra nisso tudo? Será que Chapeuzinho Vermelho (Ali, CeCe, ou quem mais a Marlene desejar por na roda) ofereceu dinheiro, o moço aceitou e Jenna, que estava seguindo seus passos, descobriu e cobriu a oferta de –A? Estariam Jenna e –A no mesmo time? (Difícil). As perguntas são várias e já conseguiram formar outro nó na minha cabeça.

Toda essa história da viagem só seria útil para Toby e Caleb se eles contassem para as meninas. Alguma delas deve lembrar que o acompanhante da Jenna no velório do Wilden era um moço loiro. Toby e Caleb poderiam até mesmo buscar por esses mundos da internet uma foto do Nigel, com certeza alguma das meninas se lembraria de tê-lo visto no velório.

Hanna continua vivenciando seu drama familiar. Após saber que sua mãe pode pegar “apenas” vinte anos se for acusada de homicídio culposo, Hanninha decide que o melhor a fazer é sua mãe assumir a culpa pelo assassinato. Ou isso, ou Ashley será acusada de assassinato em primeiro grau e poderá pegar perpetua e até mesmo pena de morte. Graças a nossa senhora protetora dos protagonistas que não é Hanninha quem está presa, a liar com certeza assumiria a culpa por algo que não cometeu. Fruto de mais uma de suas incríveis ideias, óbvio. Ashley fez certo, eu acredito que ela não tenha matado o detetive e por isso não deve assumir a culpa.

Agora, o que falar da Emily, que roubou a chave de uma delegacia, invadiu um apartamento, conseguiu fazer com que sua mãe fosse suspensa da polícia e teve a sua casa invadida? Essa moça está querendo disputar com Hanninha o prêmio de imbecilidade no final da temporada? Pra começar, a delegacia de Rosewood não tem câmeras (artigo de luxo, ao que parece, só –A tem esse brinquedo na cidade) e todo mundo é tão focado no trabalho, que ninguém percebe uma adolescente roubando uma chave da caixa/cofre de evidências.  

Não bastasse essa brilhante ideia, Em ainda resolve invadir o apartamento do Wilden. Eu não ficaria tão surpresa com essa cretinice se as meninas ao menos fossem um pouquinho espertas. Digo, as luvas foram sensacionais, mas será que elas ainda não entenderam que –A tem a incrível capacidade de estar em todo o lugar? Quer invadir o apartamento do Wilden? Beleza! Mas custa colocar umas máscaras ou qualquer outra coisa que tampe o rosto também? Não adianta nada não deixar marcas das digitais, mas deixar –A fotografar e filmar bem o rostinho de cada uma. E sobre aquela caixa que elas acharam com as carnes e um recadinho de –A, fica a dúvida, Wilden também estava sendo ameaçado por –A ou estava se encontrando com –A? Melhor ainda, será que ao citar a palavra churrasco, -A não se referia ao final de temporada passado, onde nossas meninas quase foram queimadas vivas?

Já podem dar outro plot pra pequena Aria, porque essa coisa dos rumores/Mike expulso/Ezra amigável já começou a encher a paciência. Ainda que menino Mike tenha sido bem persuasivo ao dizer que não havia feito aquilo, acredito que foi ele sim quem detonou o carro do Connor (e nós não o criticamos por isso). E o Ezra, por que não era fofo antes? Agora ele parece ser uma pessoa bem mais compreensiva, amigável e prestativa. Acho que não foi só a pequena ligação que ele tem com os Montgomery que o fizeram falar com o diretor para que Mike não fosse expulso. Aquela frase da Hanna sobre ele ser um homem decente, a meu ver, pesou muito.  

Por fim, vimos que –A ficou todo/a revoltado/a. Só ele/ela tem permissão para invadir em Rosewood. E que propício à mãe da Em estar falando ao telefone e estar bem no cômodo que o carro invadiu, não é mesmo. E por que raios a Emily não saiu correndo pra ver quem é que estava dentro do carro? Ela já tinha visto que estava tudo bem com sua mãe, sabia que aquilo era obra de –A (ela recebeu uma mensagem de “aviso”). Por agora, minha outra preocupação é: Tomara que a Emily não tenha deixado à chave cair no chão. Imagina a polícia fazendo o B.O e de repente encontra a chave do apartamento do detetive Wilden ao lado do estrago causado pelo carro.

PS: O que –A tem e oferece que ninguém NUNCA a entrega?


PS: Verônica não vai ser alvo de –A não? Ella foi atacada por abelhas, Ashley está presa, Pam está com problemas com o serviço social e quase foi atropelada nesse episódio por -A (por culpa da sagacidade da Em, mas enfim). 
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive