Wednesday, July 10, 2013

[Reviews] Pretty Little Liars - 4.05: Gamma Zeta Die!


Hanna sendo Hanna.

“Gamma Zeta Die!” foi o melhor episódio que tivemos até agora nesta temporada. Ainda não atingiu o patamar dos episódios da primeira temporada, mas parece finalmente ensaiar um passo pra frente. O que me agradou nesse episódio foi o desenvolvimento, que não foi tão arrastado. Precisa sim acelerar mais um pouco o ritmo e espero que os episódios sucessores não decepcionem nesse quesito. Os melhores momentos foram as citações nerds da Spence (confesso que só reconheci a de Harry Potter, mas teve de GoT também), a pequena discussão entre Em e Spence e claro, as Hannices. Hanninha totalmente sem limites.

Eu sabia que não deveria ficar elogiando as meninas pelo surto de esperteza dos últimos episódios, elas iriam acabar enfiando os pés e as mãos na jaca. Eu queria muito saber o que passa na cabeça dos roteiristas para eles escreverem tanta cena absurda e fazerem a Hanna cometer tanta burrice. Sério, o que é que colocam na bebida dessa gente? Eu queria um pause na minha tela nas cenas da Hanninha com várias opções sobre os seus próximos atos e todas essas opções teriam que ser ideia desses roteiristas. Aposto que só teria absurdo. Concordo que esses deslizes que nossas meninas dão servem pra nos divertir, mas às vezes passa dos limites.

O que vocês fariam se encontrassem uma arma no closet de sua mãe? (Medo de alguém ultrapassar os limites de Hanninha.) Hanna, esperta como sempre, além de esfregar todas as suas digitais na arma (se ela queria livrar sua mãe da cadeia...), guardou-a na bolsa e ligou para suas queridas amigas para elas bolarem um plano infalível e sei lá, de repente afundar a arma no fundo de um lago também. Eu particularmente acho que se a Hanna tivesse levado a arma para o Tom, ele não entregaria a Ash. Essa toupeira não prestou nem pra conferir se faltava alguma bala na arma. Pensando bem, que bom que ela nem teve essa ideia, era capaz de atirar contra si mesma. Enfim, a melhor saída ainda era devolver a arma para o Tom, mesmo porque elas sabem que são perseguidas vinte quatro horas por –A. É quase como gritar “Ei, Chapeuzinho Vermelho, estou dando-lhe várias formas para você ferrar comigo mais tarde, não se esqueça de mandar mensagem agradecendo”.

Uma liar sensata chamada Spence havia proposto essa ideia de conversar e devolver a arma para o Tom, mas Hanna parece àquelas crianças que quando a gente fala pra elas não fazerem alguma coisa, ai que elas vão e fazem. A cena em que ela estava sentada no sofá esperando a Spence encontrar a Em, parecia muito criança emburrada que tinha acabado de aprontar algo e estava de castigo para pensar em seus atos. Eu juro que quando ela pegou o copo, eu pensei que finalmente ela iria dar um tempo e curtiria a festa. Não passou nada pela minha cabeça, na pior das hipóteses ela iria apenas roubar a caneca. Mas não, gente, o que essa criatura faz em seguida? Hannice. Usa o copo pra CAVAR um buraco e poder enterrar a arma. NÃO, HANNA!!! POR QUE VOCÊ FAZ ISSO??? Eu apenas torci para que Spencer e Em chegassem a tempo e arrastassem Hanna pelos cabelos pra bem longe dali. O que aconteceu foi que –A denunciou nossa menina e ela foi pega  no flagra pela polícia tentando esconder uma arma. E agora, Hanna, me diz qual a tua ideia pra sair dessa? Alguém proíba essa menina de depor sem um advogado, por favor.

Outra que parece ter tido uma pane no cérebro foi mamãe Ella. A moça foi alvo de uma das armações de –A. Seu carro estava infestado de abelhas e quando ela percebeu a presença dos insetos, ao invés de tentar abrir a porta e correr, ela resolveu gritar. As Hannices, elas são contagiosas. Também achei muito bonita a atitude de pequena Aria em pedir para o Byron tentar convencer Ella a ir sim para a Europa. Aria sabe que o alvo são as famílias, especificamente as mães, e vai fazer tudo o que puder para que Ella saia de Rosewood o mais rápido possível. Para os que ainda têm o pé atrás com Aria e acham que a liar faz parte do –A Team por sofrer  menos que as outras três meninas, vocês ainda acreditam nisso? Ela quase morreu no episódio de Halloween e ela não faria esse tipo de coisa com a própria mãe, visto que pequena Aria quer mais e que Ella vá pra Europa e só volte quando o –A Team tiver sido desmantelado. Eu acho que a Aria sofria (porque ao que parece, agora –A vai atirar em todas ao mesmo tempo) menos porque antes todas as suas histórias giravam em torno do Ezra, e sei lá, vai saber se o professor não está envolvido com o –A Team, não é mesmo?

E que loucura a Spence nesse episódio. Claro, não como a loucura que a levou para a Radley, era uma loucura mais de fixação, como se ela tivesse que voltar a resolver todos os mistérios. Já estava sentindo falta desse lado investigativo da Spence, nossa liar não queria nem escutar as meninas, ditou todas as regras sem perguntar se Em concordava e foi atrás da valiosa dica que o papagaio Tippy deixou minutos antes de ser sequestrado.

Acabamos descobrindo que o número vinha de uma universidade. Arrisco dizer que era a universidade onde a CeCe estudava antes da Ali fazer com que ela fosse expulsa.  E que quarto sinistro era aquele que a Spence descobriu? Só tinha um telefone (o que o papagaio ficava cantarolando o número) e uma porta com várias marcas de unhas, como se alguém algum dia tivesse ficado preso ali. Tenho uma teoria pra esse quarto, ou era a CeCe que ficava lá e recebia telefonemas da Ali, ou quem ficava lá era a Courtney (a gêmea pirada nos livros) e a Sra. DiLaurentis ligava pra filha todo dia, por isso o Tippy guardou o número.

Como mencionei no começo da review, as discussões entre Spence e Em foram até que divertidas. Spence estava louquíssima e acusando Em de ser aproveitadora porque ela não queria andar por ai com uma foto da Ali na mão e sim conhecer a faculdade, já que Stanford ficou difícil agora que nossa liar machucou-se e não pode, por enquanto, nadar.  Emily não deixou barato e deu uma humilhada básica na Spencer. No final tudo acabou bem, coisa de amiga essas ofensas. As atenções voltaram-se para Hanninha, mas ai já era tarde demais.  

PS: “Mãe, eu não sou um sofá” – Spencer argumentando com sua mãe o fato de que ela não pode ser mudada.

PS: Volta Tippy! Nossas meninas precisam de mais informações.

PS: Menino Mike voltou todo trabalhado na acidez e não poupou o vocabulário com a irmã. Já podem trazer o Noel de volta também, coisa linda.

PS: Eu pensei que a arma dentro da caixa do Wilden fosse a do Tom, mas já que aparentemente não é, porque o detetive tinha uma arma com numeração raspada?

PS: “Nós precisamos acha-la antes que ela faça realmente algo estúpido” – Spencer pressentindo Hanninha fazendo imbecilidades.  

PS: Verônica só aparece pra cobrar estudos, cobrar faculdade ou livrar alguém da prisão. 
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive