Monday, July 1, 2013

[Reviews] Dexter – 8.01: A Beautiful Day

O começo do fim!

Olá gente, a partir de hoje vou comentar com vocês sobre a última temporada de Dexter. Não sei nem como expressar o tamanho da minha emoção em está fazendo as últimas reviews da minha série favorita, do meu primeiro amor, que será eterno, e esperem bastante choramingos, pois a pessoa começou a chorar quando assistiu a abertura da série agora nesse episódio, imagina o drama daqui para o final!!!! Nem consigo me imaginar assistindo o último episódio da série ainda.

Pois bem, o foco no final da sétima temporada e começo dessa era como seria a reação de Deb depois de ter matado um inocente para salvar seu irmão, e principalmente, matar uma pessoa que ela conhecia há bastante tempo, apesar de ter lhe enchido bastante o saco. E esse episódio não poderia fugir disso, e abordou muito bem todas as neuras, emoções, transtornos e perturbações que Deb vive durante esses 6 meses depois da morte de La Guerta.

Debra teve uma evolução muito grande durante todas essas temporadas, e principalmente em relação a sua vida profissional, passando de uma simples policial de rua e conseguindo entrar no departamento de investigação, para logo depois se tornar detetive e tenente. E agora chegou a hora de abandonar tudo, depois do acontecido e acabar trabalhando para uma empresa de investigações particulares.

Dexter, por outro lado, conseguiu seguir sua vida “normalmente”, algo fácil para um serial killer desprovido de algumas emoções, mas acabou que todas as mudanças que aconteceram a Deb acabaram o afetando, e até fazendo-o se descontrolar, como foi o caso do cara do carro que o fechou, e até mesmo Harrison não escapou do nervosismo do pai. O maior medo de Dexter era algo acontecer a ela, pois Harrison e Deb são as únicas pessoas que o fazem uma pessoa relativamente normal, como uma família de verdade, e se algo acontecesse a ela seria algo imperdoável, até mesmo nos sentimentos de um psicopata.

Agora além dos problemas de Deb ainda existe outra pedra no sapato de Dexter chamada Evelyn Vogel, uma neuropsiquiatra que trabalhava como uma espécie de conselheira para a polícia, e que estuda a mente de Seriais Killers. Mas isso não foi nada diante da revelação feita por ela que conhece tudo sobre Dexter, e podem esperar que muita merda vem aí para ele resolver, e o pior de tudo é que ela possa se tornar uma conselheira do mau, ao contrário de seu pai, e acabar atiçando ainda mais o lado Serial Killer de Dexter.

As últimas falas de Debra serviram muito como reflexão, e o fato de ela dizer que quem estava perdido era Dexter não ela, pois a mesma estava vivendo no inferno que merecia, fez a cabeça dele dar um volta de 180° a respeito de tudo, tudo que estava fazendo ou pretendia fazer. A cena de Dexter com o sangue em suas mãos abraçando seu filho não poderia ser uma imagem melhor para ele tentar definir o que realmente quer para sua vida, para a vida de seu filho, e também para a vida de Debra, que foi a mais afetada pelo mesmo.

Essa foi uma das melhores premieres da série, impecável, e pelo apresentado essa provavelmente será uma das melhores temporadas da série, prometendo terminar com chave de ouro, sem nenhum nó para ainda ser desatado, realmente o começo do fim de uma era, o começo do fim do serial killer mais querido dos últimos tempos, o começo do fim de Dexter.


Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive