Thursday, June 27, 2013

[Reviews] Pretty Little Liars - 4.03: Cat's Cradle


“Isso é imortalidade, minhas queridas” – Alison DiLaurentis


O que é imortal não morre no final, não é mesmo minha gente. Foi exatamente isso que Alison fez. Imortalizou-se. Não importa se ela está realmente morta ou apenas fingindo, Ali não deixa os cidadãos de Rosewood viverem sua vidinha em paz. E pra Ali ser memorável, o –A Team não pode parar com suas mensagens e sempre precisa amarrar algum fato a noite que ela desapareceu. Isso me faz pensar em três possibilidades: Ali não morreu e tem um grave problema psicológico e gosta de chamar atenção de diversas maneiras (relacionem com imortalidade), plot das gêmeas ou existe um grupo de pessoas que realmente não gostam das nossas meninas e se divertem deixando um rastro de cadáveres por Rosewood. Pode também não ser nada disso, já que Pretty Little Liars sempre nos surpreende (não da maneira que gostaríamos, mas enfim). 

Em comparação com os dois primeiros episódios, esse foi um episódio fraco e que não teve absolutamente nada de novo, apenas suposições com as quais já estamos familiarizados.

Aria e Jake ainda estão no estágio “estamos nos conhecendo.” Estranho, já que ela não hesitou em beijar o moço, mas tudo bem. Eu não sei se esse lance de querer ter coisas em comum com o garoto é porque ela tinha coisas em comum com o Ezra e, inconscientemente, meio que está tentando ver o Ezra no Jake, ou se é apenas medo de não dar certo. Não que ela demonstre amar o Jake, mas é perceptível que pequena Aria quer ou pelo menos vai tentar seguir em frente. Isso seria muito bom, Aria é a única das quatro que está amarrada a mesma pessoa desde o início da série. Ela teve um pequeno rolo com o Noel e depois ela e menino Holden pareciam ter um clima, mas nada evoluiu, era sempre o Ezra. Mudar um pouco o foco pode ser bem útil, já que muitos reclamam que Aria só tem histórias com o Ezra. Na verdade, mesmo que o pessoal ame as liars, eles querem mais é vê-las passando por bons apuros (porque é isso que vai fazer a série voltar a ser interessante) e por bons apuros eu não digo estar em crise porque seu namorado virou pai da noite pro dia (por mais que isso seja um problemão na vida real), e sim porque, sei lá, de repente te prendem em uma caixa com um cadáver e tentam te matar também.

Hanninha descobriu que sua mãe não estava em Nova York na semana da morte do Wilden. Ainda não acredito que Ashley possa ter matado o detetive. Ficou mais do que evidente nesse episódio que –A quer mexer com as mães de todas as liars. Tudo bem, a arma do Tom sumiu quando a Ashley foi falar com ele, mas –A é especialista em incriminar as pessoas. É provável que tenha feito isso com Ashley, dá mesma forma como já fez com as meninas e dá mesma forma que está fazendo agora com a mãe da Emily. Pam corre o risco de perder a guarda de Em por ter sido grossa com ela na frente da Rosewood High. Alguém a denunciou e agora ela vai ter que se explicar para o serviço social. A mãe de Toby também pode não ter cometido suicídio. Pelo menos é isso que ele e Spencer estão tentando descobrir. É possível que alguém tenha empurrado a Sra. Cavanaugh. Quem fez a coisa certa mesmo foi Aria, que liberou sua mãe pra passar uns meses na Áustria com o namorado. Pequena Aria vai sentir falta da Ella, mas não tem coisa melhor no momento do que afastar as mamães de Rosewood. Cuidado, Verônica, certamente o seu também está na reta.

E que quadro era aquele na delegacia? Lembrei de Criminal Minds, mas em CM não temos uma cidade de suspeitos. Vocês perceberam que em cima da foto da Melissa estava escrito “Esperta demais para deixar ser pega?” Pois é, Melissa aparenta cada vez ser mais suspeita, vou comentar sobre ela mais abaixo. Alguém ai duvida que as fotos que vão sobrar nesse quadro de suspeitos são das nossas meninas ou de alguém que elas amam muito? Aposto mais na segunda opção e por isso é importante proteger as mães. Se –A optar por deixar que as liars sejam culpadas, o jogo acaba e, consequentemente, a diversão também.

Sobre a Melissa, essa moça parece arroz de festa, ela SEMPRE está no meio das coisas. Ela é como –A, onipresente. Aliás, eu apostaria nela como Chapeuzinho Vermelho. Em sua aventura na delegacia, Hanninha viu Melissa conversando com um policial. Depois, nossas meninas encontraram uma máscara da Ali e foram procurar o designer que a produziu. Lá, elas encontraram uma máscara de quem? Da Melissa. E também tem todas aquelas falas dela pra Spencer, de “Sair dessa cidadezinha seria bom pra nós duas” e “Se você tivesse que me proteger ou proteger alguém que você ama, quem você escolheria?” Na minha opinião, junto com a possibilidade da Ali estar viva ou da história das gêmeas, Melissa é muito suspeita.


Como vocês viram, não foi um episódio onde muita coisa aconteceu. Eu até estranhei quando o episódio acabou, porque eu estava esperando que algo acontecesse e de repente já estávamos vendo as típicas cenas de -A no fim dos episódios. Vamos torcer para que o da semana que vem seja infinitamente melhor. Vejo vocês lá, até mais!
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive