Tuesday, April 8, 2014

[Reviews] Once Upon a Time - 3.16: It's Not Easy Being Green


Pra deixar qualquer um verde de inveja.


Episódio movimentado de Once Upon a Time, se não bastasse a história da Wicked Witch, ainda tivemos um embate de bruxas. Posso até estar ficando repetitivo, mas OUAT voltou a boa e velha forma. Um episódio redondinho, com conexões fiéis as temporadas passadas e belo desenvolvimento dos personagens. Sabendo é claro, utilizar um dos artifícios mais importantes da série, o flashback.

Zelena ganhou sua história e não poderia ter ficado melhor. Enquanto muitas pessoas (eu incluso nesse pacote) pensaram que Dorothy acabaria aparecendo cedo ou tarde, quer seja como a filha não nascida da Snow ou outra personagem incorporando a figura icônica, a série brincou com nossas expectativas e fez da bruxa má a verdadeira Dorothy. Sim, ficou bem claro que Zelena é a encarnação da menina inocente que chegou ao mundo mágico através de um tornado. Aliás, apesar dos sapatinhos serem da cor de rubi no filme de 1939, no livro eles são prateados, assim como na série. Ou seja, Zelena é a personificação da corrupção da inocência, o que até me fez simpatizar com ela. Sim, senti dó de Zelena e achei completamente justificável ela querer retribuição pelo seu sofrimento, infelizmente ela mirou no alvo errado e acabou sendo tomada pela inveja, culpa do Rumpels, que sabe muito bem como manipular uma mulher ferida.

Contudo, ainda mantenho uma ressalva quanto ao fato da Zelena ser ou não a Dorothy mesmo. O episódio fez tudo, deu todas as indicações de que ela é a personagem, as dicas estavam todas lá. Entretanto, no episódio ‘The Doctor’ o Rumpelstilskin envia o Jefferson para Oz, com a missão de capturar os sapatinhos, sendo assim, desde o comecinho ele já tinha conhecimento do poder desse objeto, o que amarra bem os fatos mostrados no episódio. O Jefferson diz que alguém já está apoderado deles. Ou seja, será que existiu outra pessoa usando os sapatinhos? Ou Jefferson estaria se referindo a Zelena, ainda de posse deles? Aposto mais na segunda alternativa. E sabe o que tudo isso faz comigo? Me deixa extremamente feliz em ver que a série tem todo esse cuidado com alguns detalhes, que para mim, são importantíssimos. Eu defendo a ideia de que a série as vezes peca por transformar o mesmo personagem em vários personagens dos contos de fadas, no caso da Zelena eu sou só sorriso.

Indo além, It’s not easy being green marcou para mim o melhor uso de computação gráfica da história de Once Upon a Time. Gente, aquele interior do castelo, o exterior, as cenas com o Mágico de Oz, tudo foi tão bonito que eu me senti bem com o resultado final. Parabéns também por não terem se esquecido de um ator tão bacana quanto Christopher Gorham, foi um baita de um soco no estômago ver o poderoso sendo transformado no primeiro macaco da vida de Zelena. A origem desse personagem também foi mantida intacta, apesar da integração dos objetos mágicos que crivelmente dão todo o embasamento para a série, que tem essa liberdade e mostrou como usá-la.

Mas claro, nem tudo são flores e ainda estamos presos a uma Snow meio burra, acho que isso é um pouco de família. Emma mesmo já decidiu que pode rivalizar com a bruxa e vê-la sendo arremessada após o discurso “eu sou a salvadora” foi bom, abaixa o ego Emma, você ainda não chegou lá. Agora, vocês notaram que a Mary Margareth estava toda preocupada em invadir o covil da Cora, né? Agora se preocupar em andar com uma mulher desconhecida e aceitar de bom grado tudo o que ela oferecia como bebida, ela não quis. Será mesmo que o cérebro que a Zelena roubou não foi o dela, desde o começo? Perguntas que me faço.

Só não consegui me conectar muito com a história do Hook e do Henry, que deveria ser repleta de sentimentalismo pós-partida do Neal. Ainda sustento minha visão de que tudo isso é culpa dos redatores que não souberam aproveitar o personagem Baelfire quando tiveram a chance. Infelizmente o sentimentalismo fica quase imperceptível por que eu nunca me importei muito com o pai do garoto para sentir essa conexão. Mas vejam bem como esses mesmos redatores que não se importaram com o Neal desprendem tanta preocupação com o Hook.  O favoritismo da série começou exatamente ai. Existiu e ainda existe toda uma preocupação em nos fazer gostar do Hook não importa a situação em que ele esteja encaixado. Neal foi artifício do plot da série e como artifício ele foi completamente relevante, como personagem, não.

Agora vou dedicar um parágrafo todo especial para comentar sobre o momento mais mágico do episódio. Não, não estou me referindo a transformação de guache mística da Zelena, mas sim da cena que valeu ouro entre Regina e Robin. Sim, precisei dedicar vários sorrisos para esse casal que manteve uma interação que beirou a perfeição. Não é segredo, desde que essa meia temporada começou eu comentei com felicidade todos os momentos que ambos dividiram, por que foram sinceros. É assim que se desenvolve um romance. Aos poucos fomos sendo conduzidos por Regina e Robin Hood em uma trama cautelosa, porém rápida, afinal, já havia sido profetizado que eles eram almas gêmeas. Dar o coração para Robin foi a prova definitiva de que existirá mais entre esses dois, ou isso, ou os redatores vão enfiar a faca nos NOSSOS corações e destruir um relacionamento que tem tudo para ser épico. Posso estar me portando como um verdadeiro fanboy escandaloso do romance entre os dois, e é isso mesmo.

Fechando essa review, finalmente descobrimos a quem pertence o coração, Regina. Já tinha comentado isso antes e vários dos leitores também. Agora, finalizo aqui com uma teoria. Zelena quer recomeçar a vida do zero, mudar o passado e ter uma nova chance de ser aquilo que Regina é. Será que o bebê de Snow vai ser o novo Henry? Bom, tendo o gene dos Charmings obviamente essa criança vai ser tão chata e burra quanto o filho da Emma. De qualquer forma, podem adicionar mais um belo episódio para Once Upon a Time.

Ps. “Fora do meu caminho, munchkin.” “Eu sou um anão.” “Pior ainda”. Zelena é ou não é para amar?

Ps². Emma, olha sua listinha de ex melhorando, pode acrescentar ex-macaco voador-Mágico de Oz. Não sei se as amigas vão sentir inveja ou pena, mas já é melhor que só macaco voador, né querida?

Ps³. Tinker Bell, cumprindo a cota de fada do episódio.

Ps4. Cadê a camiseta com a frase: “Nunca leve seu coração para uma luta de bruxas”? Quero uma pra ontem.

Ps5. Zelena, já passou da hora de aprender a ser uma boa irmã. Te recomendo assistir Frozen algumas vezes. Let it go, moça!

Ps6. Não é por nada não, mas quem assistiu Lost sabe muito bem o que está a caminho da série. Passamos pelos flashbacks e essa temporada pode ser considerado um flashfoward. Será que a próxima com a alteração do passado estaremos lidando com um flash-sideways? Acorda Brasil! 

Ps7. Funeral do Neal. Meh! Pelo menos o corpo não ficou se decompondo no meio da floresta.

Ps8. Personagem de Once Upon a Time in Wonderland vai entrar em OUAT. Só eu fiquei com um pouco de receio? Já temos tantos personagens que não recebem o destaque que merecem, mais um com uma carga tão pesada poderá se tornar um desserviço.


Ps9. Enquanto a Zelena caminhava pelos tijolos amarelos eu imaginei a música “We’re off to see the wizard”. Bateu aquela vontade de assistir ao filme novamente. 


Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive