Thursday, March 6, 2014

[Reviews] Agents of S.H.I.E.L.D. - 1.14: T.A.H.I.T.I.


Apresentando Jonh Garret, o agente que ensinou Ward a desarmar bombas nucleares.


Olhem só, mais um episódio de Agents e mais um monte de referências aos quadrinhos, ação e tudo mais que nós tanto pedimos. Realmente, essa segunda metade da primeira temporada está se mostrando praticamente uma nova série. E que Thanos nos ajude, essa qualidade não pode cair.

Foi mais uma semana boa para MAoS, mesmo que esse episódio tenha mostrado algumas sequências meio complicadas de engolir e processar, a série vem fazendo bem em lidar com o fator transposição dos quadrinhos para as telas. Quando eu fiz minhas primeiras reviews da série, lembro de ter comentado sobre a série utilizar os filmes como muletas e não conseguir desenvolver sua mitologia de forma separada das produções grandiosas como Thor, Homem de Ferro e Avengers. Pois bem, a série se desvencilhou desse parasita e vem a passos largos avançando cada vez mais no seu “eu próprio”.

A inclusão do agente Garret é a prova de que existem personagens ligados diretamente a S.H.I.E.L.D. que podem ser utilizados na série sem que essa prejudique ou limite os passos a serem dados pelos filmes. John é um personagem com uma história de fundo bem sombria, condizente com a atuação de Bill Paxton. Ele cometeu vários crimes antes de ser acolhido pela agência. Sua história é tão boa que pode ser também ligada a de outras séries da Marvel. Demolidor, por exemplo teria uma conexão legal com Garret. Ainda não sei como funcionará a dinâmica entre os personagens das séries que serão exibidas pela Netflix, mas imagino que poderemos contar com algumas participações. Garret foi atacado pela Elektra e deixado para morrer, para depois receber vários implantes tecnológicos, fazendo dele quase um cyborg. Porém, ele é sempre tido como neutro e suas afiliações podem ser bem questionáveis, tanto que nos quadrinhos ele chegou a abandonar a S.H.I.E.L.D.

Creio que toda a lentidão que enfrentamos durante a primeira metade dessa temporada foi uma maneira da série criar um laço de amizade e companheirismo entre esses agentes. Ou seja, o foco era mostrar como cada um deles se relacionava e como eles viriam a depender também um do outro.

E qual a melhor forma de se demonstrar a necessidade da presença da personagem? Não apenas sentimentalmente, mas também em termos de missão, Skye faz falta. É brilhante ver que não ficamos apenas presos no “sinto falta da minha amiga”, “eu gostava tanto dela, que ela não pode morrer”, não. Foram várias as situações em que a pergunta foi imaginar o que a Skye faria, como ela hackearia seu caminho em uma solução eficaz para o grupo. Muito mais do que meramente uma família, estamos falando de um organismo dependente em que todos os personagens possuem um papel a desempenhar com grande importância. Isso é a unidade da equipe, todos lá tem um diferencial e todos são indispensáveis. Mesmo que tudo tenha dado certo sem a presença da Hacker, ela com certeza fez falta.

Apesar de ter gostado do episódio, ainda acho que alguns pontos demonstraram um roteiro fraco e com pouco sentido. Um dos lugares que guarda possivelmente um alienígena (arrisco Kree), equipamentos médicos capazes de trazer um ser humano dos mortos e quem sabe o que mais, tem como segurança dois homens apenas e um sistema que pode ser invadido com uma furadeira? Por favor, isso é nos chamar de burros na cara dura. Fora isso, por que raios o sistema se programa para autodestruição em uma invasão? Onde está a proteção ao alien saído de avatar? Por que a primeira alternativa seria soterrar todo aquele maquinário aparentemente único? Isso precisaria ser melhor explicado e poderíamos ter recebido essas respostas em um episódio duplo, com mais tempo de desenvolvimento, afinal, a vida da Skye estava na balança. Isso por que ainda não disse nada sobre Fitz ter pego apenas UM frasco do remédio mágico que cura feridas. As vezes MAoS é tipo crack, vicia, faz você se odiar por estar consumindo e mesmo assim, você continua.

Já que entrei na discussão do Na'vi ser monstruoso sendo drenado, vou apontar minha teoria. A Marvel é conhecida por conectar fatos a suas produções, jogar dicas, pegar elementos dos próximos filmes e inseri-los em extras de blu-rays, nos próprios filmes que antecedem essas produções e acredito que isso também esteja acontecendo aqui em MAoS. Por isso, aquela criatura levantou dois sinais de alerta em minha mente conturbada de marvette. Capitão América está ligado intimamente a organização Hydra, em Secret Warriors descobrimos que essa mesma Hydra tem ligação direta com a S.H.I.E.L.D., algo que quase fez o tapa olho do Nick Fury saltar. Aliado ao fato de que um dos guardas é chamado de Bob o que poderia ser uma homenagem ao companheiro do Deadpool, Bob of Hydra, isso me leva a acreditar que aquilo lá possa ser uma experiência da Hydra que deu errado, ou certo. A segunda teoria diz respeito ao filme Guardiões da Galaxia, o vilão será Ronan O Acusador, personagem da raça Kree. Sua aparência se assemelha muito a do possível alien encontrado por Coulson. Conforme a imagem abaixo. Vale lembrar que os Kree já invadiram a terra e com a ligação forte entre Guardiões da Galáxia, O Colecionador e Thanos, esse pode ter sido o primeiro a ser descoberto na terra.



A verdade é que muito mais do que essa cena de choque, MAoS está querendo nos passar exatamente o que a S.H.I.E.L.D. significa para seus afins. Recomendo e muito a leitura de ‘Secret Warriors’, ela explica muito bem como as coisas funcionam dentro dessa agência. Era comum, mesmo antes de Norman Osborn (Duende Verde) assumir o controle da agência, que o ar de desconfiança prevalecesse, é só ver Secret Avengers na saga Civil War, é tudo girando ao redor da conspiração. Esse sentimento de quase confiança é o esperado lá dentro. Por isso, gostei bastante da forma bem próxima aos quadrinhos que a série está retratando.

Em mais um episódio MAoS mostrou a que veio. Pode ainda não ser perfeita, mas está bem longe do começo modorrento que teve. Ainda tem algumas correções a serem feitas, o roteiro precisa ser menos preguiçoso e algumas atuações ainda estão meio fracas, a de Skye nesse episódio foi a melhor até agora e eu não estou brincando.

Ps. Com a proximidade de Capitão América 2, a passagem de Thor: Mundo Sombrio e Guardiões da Galáxia aportando, ainda me pergunto: Quando teremos esgotado a batalha de Nova York?

Ps². Eu sei que todo mundo quer saber quem é a Skye e eu só queria descobrir uma coisa, que o nome verdadeiro dela fosse Jessica Drew, a Spider-Woman.

Ps³. Como informado pela Marvel na promo da série exibida durante o Oscar, esse episódio é o primeiro do evento “Uprising”, arco que irá cobrir quatro episódios da série e será o tie-in de Capitão América 2. Ou seja, estamos testemunhando o primeiro EVENTO da série. Estou tremendo, Rosana.

Ps4. A mesma tecnologia utilizada por Fitz e Simmons é que Tony Stark vem usando desde Homem de Ferro 1.

Ps5. Alguém se lembrou que aqueles dois agentes eram da S.H.I.E.L.D.? Prevejo a ligação mais constrangedora do mundo para os familiares dos dois.


Ps6. Será que o sidekick do Garret é o Triathlon /Homem 3D? Adoro essas possibilidades. 
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive