Friday, November 15, 2013

[Reviews] Sleepy Hollow - 1.07: The Midnight Ride


Segurem suas cabeças, o cavaleiro voltou.


Que episódio maravilhoso de Sleepy Hollow essa semana. Só faltou mesmo uma coisa pra ficar perfeito, ele ter uns minutinhos a mais para podermos aproveitar tudo o que nos foi mostrado nessa semana. Na review passada de SH eu disse que a série estava em seu período de testes. Onde ela experimentava algumas coisas novas, se aprofundava nas que já estavam dando certo e o resultado disso foi esse brilhante The Midnight Ride.

Se você não percebeu, agora só faltam mais quatro episódios para o fim da primeira temporada de Sleepy Hollow. Ou seja, nada mais justo do que elevarem a tensão e começarem a desenhar aquilo que irá permear os últimos momentos dessa série que se provou uma excelente surpresa. E a forma com que começaram a conduzir esse final foi completa.

A série nunca foi muito centralizada na comédia e acabava flutuando por alguns momentos engraçadinhos, nesse episódio tivemos de tudo um pouco e foi praticamente impossível encontrar alguma coisa que não me agradasse nele. Tivemos momentos esquisitos ao melhor estilo Sleepy Hollow, com as cabeças decapitadas dos maçons presas como lanternas, cavaleiro sem cabeça atirando com metralhadora e shotgun, torta de climão na rua com Morales praticamente implorando por uma chance com a Abbie. Resumindo, esse foi um episódio pra agradar a todos.

Creio que o culpado de tudo isso foi nosso querido cavaleiro sem cabeça. O vilão mais importante da série, até agora. Ainda temos o capiroto, mas já tem alguns episódios que ele não desfila com sua forma física impecável, por isso, considero o cavaleiro o mais perigoso. É ótimo poder perceber que a ameaça da série é um personagem que não tem cabeça, não fala, não sorri (não estou contando os dentes banhados a prata do crânio), mas mesmo assim consegue passar todo o risco que os personagens correm, a todo momento.
Sleepy Hollow sempre conseguiu dosar muito bem o suspense com a ação, nesse episódio não poderia ser diferente. O único problema é que faltou um pouco de tempo, ou talvez só tenha sido o quão bom o episódio foi. Pra mim, passou voando. E tudo o que aconteceu foi bem explorado e utilizado. Até o capitão Irving que não me agradava muito conseguiu pela primeira vez em sete episódios, passar algo que não fosse desconfiança.

Sem comentar a comédia, que permeou vários momentos durante esses quarenta minutos. Antes, tínhamos uma introdução rápida, um momentinho entre Abbie e Ichabod que nos arrancavam pelo menos um sorriso amarelo. Dessa vez foi diferente, a série conseguiu dividir muito bem todas as suas cenas de modo a criar suspense, antecipação e comédia. E é assim que Tom Mison nos conquista, com essas pequenas frases e caras de descontentamento. Até na cena clichê dele no museu se mostrando inconformado com as informações erradas sobre o passado e o fato de que nós pagamos por água, foram deliciosas de assistir. Que cena maravilhosa foi aquela do Ichabod deixando uma mensagem de voz para a Abbie? Ele fala como se estivesse escrevendo uma carta. E a cena do canudinho? Nosso protagonista não é cômico só por que não conhece esses elementos tecnológicos, ele é engraçado por que quer, também.

Foi depois do final desse episódio que eu me senti satisfeito por ter começado e continuado a assistir Sleepy Hollow. A história avançou muito bem e a mitologia que praticamente já havia sido totalmente incluída, recebeu novos retoques e aprofundamentos.

Coitados dos maçons, não tiveram nem ao menos a mínima chance de ajudar Abbie e Icky e já perderam as cabeças. Parabéns roteiristas, ótima forma de enxugar o número de personagens. E parabéns cavaleiro, é assim que um vilão deve agir. Pelo menos com ele nós sabemos que não vão existir as cenas em que o big bad declama todo seu plano para os mocinhos. É um alívio. Ele também quebra um pouco dos clichês que nós já conhecemos, mas não todos, por que daí já seria pedir demais. Assim como no piloto, mais uma vez ele deu “as caras” (me perdoem) e atacou sem medo de se expor. Nos garantindo que o capitão Irving finalmente fosse incluído no grupinho de Abbie e Icky, que até então contava com uma bruxa desencarnada e uma ex-marginal e ex-louca Jenny Mills.

E onde o cavaleiro vai, Jon Cho vai atrás. Que saudades que eu estava daquele pescoço cheio de pelanca. Confesso. Tanto que nem me preocupei pelo fato de terem ignorado a Katrina completamente nesse episódio. Quem precisa de bruxas quando se tem a disposição holofotes de luz ultravioleta? Ninguém. E isso foi muito bom, afinal, já tínhamos personagens demais aparecendo e tempo de menos para aproveitar tudo o que The Midnight Ride queria nos oferecer.

Outro ponto que Sleepy Hollow sempre é muito boa é o de sutilmente incluir características históricas ao que está acontecendo no presente. Mesmo que para nos fazer rir, no momento Ichabod descobrindo os podres de seu ídolo, ou torcer, como foi a perseguição do cavaleiro quando ele ainda tinha cabeça.

Os acontecimentos desse episódio não foram surpresa. Depois que Henry Parrish besuntou o pão no pecado de Ichabod e o libertou da conexão sanguínea com o cavaleiro, era meio obvio que agora as coisas iriam ficar mais perigosas. Ichabod recebeu um alvo no peito, podendo finalmente levar uns tabefes mais fortes dos inimigos. Só que, como matar um inimigo que tem a crânio mais duro que o adamantium do Wolverine? Simples, a gente não o mata, o prende. Essa parte eu confesso que foi meio fraquinha por ter sido rápida demais. Mas tudo bem, o episódio já tinha nos presenteado com outros momentos pra guardar na memória. Ficaria mesmo difícil superar o cavaleiro atirando com uma metralhadora, confesso.

Logo, esse foi de cara o melhor episódio da série. Nos ofereceu tudo na medida certa, soube caminhar da comédia para o suspense e para ação sem prejudicar  a narrativa. E não tem nada que eu goste mais do que rasgar elogios a uma série que estou gostando tanto. Simplesmente não consigo entender como fãs de séries sobrenaturais podem não ter gostado de Sleepy Hollow, ela tem tudo. Ação, suspense, comédia, ótimo desenvolvimento de mitologia e personagens. Como não amar?

Ps. “Fico lisonjeado, mas sou casado com outra mulher” – Ichabod para a pornografia moderna

Ps². Ótima montagem com Ichabod e Abbie tentando destruir o crânio do cavaleiro.

Ps³. Vocês confiam que o policial pescoço tonto está mesmo querendo ajudar? Eu não.


Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive