Tuesday, September 3, 2013

[Reviews] Devious Maids - 1.09/10: Scrambling the Eggs/ Hanging the Drapes


Se eu fosse você, não sorriria tanto Valentina.


Alerta de Spoilers!

A tensão está crescendo em Devious Maids, tudo encaminhado para os últimos episódios da regular primeira temporada. E quais são minhas considerações até agora? Se arruma na cadeira, coloca as luvinhas da sua mãe lavar a louça sem estragar as unhas, gruda na vassoura e vem comigo, querido leitor.

A primeira temporada de Devious Maids não foi tudo aquilo que M. Cherry e Eva Longoria prometeram. Ela não revolucionou a televisão e demorou um pouco para conseguir criar uma verdadeira expectativa e envolvimento com quem acompanhava semanalmente a vida das empregadas domésticas.

Eu continuo achando que DM é uma série boa, porém fraca em muitos quesitos. Quesitos esses que deveriam ser parte da cartilha básica, estamos afinal, falando de uma série que é do mesmo criador de Desperate Housewives.

Em Scrambling the Eggs, os ovos em questão são os de Valentina. Em uma trama que tinha tudo para ter um bom desenvolvimento, vemos a história do futuro marido de Genevieve indo por água abaixo em apenas um episódio. Não teve um envolvimento maior com a história que poderia ter dado tanto a Genevieve quanto a Valentina e Zoila uma participação maior. Claro que tudo foi perdoado graças ao décimo episódio, mas só por causa das revelações ao redor de Remi e por causa da interação de Pablo com o rapaz.

Carmen tanto prometeu e seu desenvolvimento ficou minado por Odessa, a personagem que mesmo ausente tomou o rumo da história na casa de Alejandro. Não tem como não comentar as costas peludas do cantor ou sua orientação sexual, que tratou de expulsar qualquer possibilidade de romance entre a empregada e o patrão. Eu ergui as mãos para os céus e agradeci a inteligencia dos redatores, mas de certa forma isso acabou por dar uma aura de "descartável" para Alejandro. A não ser, que saibam usar a informação corretamente.

O que eu vejo em Devious Maids é um conjunto muito bom de roteiristas que sempre impõe um bom ritmo, com tramas interessantes, porém, curtas. Tudo se resolve muito rápido, tudo é muito instantâneo. Não existem passos largos, todos eles são extremamente rápidos.

O único plot que está sendo bem desenvolvido desde o começo, é o central. O motivador da temporada. Mas é muito isolado, apenas Marisol e Rosie tem participação nele. Na primeira temporada de Desperate Housewives tivemos o suicidio de Mary Alice, em Devious Maids o assassinato de Flora. A tensão entre as empregadas devia ser muito maior, até por que elas tem muitas informações que obviamente deixariam a dúvida maior. Mas elas não ligam muito, elas não eram amigas da Flora, só eram colegas. Pelo menos é isso que dá a entender. Eu até entendo, já que Flora através das informações que temos, era uma pessoa bem mesquinha. Só que, gente, ninguém não tá dando a mínima pra isso.

Eu compreendo que é complicado você sair do seu próprio mundinho para dar atenção ao mundo dos outros, mas com essa proximidade eu esperaria um pouco mais de comentários sobre a falecida, a única que levantou o nome de Flora desde o começo foi Marisol.

Por falar em Marisol, o terreno para ela está cada vez mais instável e ela está se mostrando mais e mais perigosa. Os limites de uma mãe não existem, brincar então com os de outra mãe, mesmo que de apenas uma semana, é aceitável. É o que Marisol quis nos dizer. Eu lembro que cantei a pedra de que Remy poderia ter algum envolvimento com a morte de Flora, mas olha, depois que as coisas foram assim jogadas para cima, eu passo a pensar que possa ser outro personagem. Talvez seja o pai de Remy, que deu as caras justamente no dia em que decidiram revelar que ele era o tal amigo do filho de Marisol.

Por isso, quando Taylor vê o marido consolando a ex-mulher quase morta, eu não chego a me preocupar. As relações em Devious Maids são rápidas demais. Tanto que eu não ficaria assustado se já no próximo episódio tudo for resolvido. É assim que a série tem sido conduzida.

Essa é a minha única reclamação. Precisamos de tramas mais bem elaboradas. Não é preciso desenvolver 200 plots ao mesmo tempo, temos mais três episódios para o fim da série e eu sinto que conheço apenas três empregadas, quando na verdade eu já deveria conhecer todas. Marisol, Rosie e Zoila tiveram muito mais espaço, tudo por que os roteiristas insistem em dar para as outras, tramas que se resolvem em um episódio e mudam drasticamente no outro. Tomem Carmem como exemplo, primeiro tinha o sonho de ser cantora, que já sumiu, o romance com o mordomo, que foi embora, o cancer da Odessa que será substituido pela sexualidade do Alejandro, e olha que ainda estamos na primeira temporada de 13 episódios.

Devious Maids precisa se concentrar mais em desenvolver assuntos menores, ou menos assuntos. Dessa forma ficará mais fácil se preocupar com as empregadas e não apenas com o assassinato de Flora, que também tem sido bem frio. 
Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive