Saturday, May 18, 2013

[Reviews] Grey's Anatomy - 9.24: Perfect Storm (Season Finale)


A tempestade perfeita.

Felizmente, chegando ao fim do nono ano de Grey’s Anatomy com muito amor no começo e nenhuma gastrite no corpo, afinal Shonda Rhimes manteve os momentos críticos finais bem reduzidos, para repor a grande droga que ela fez no final da temporada passada. Tirando algumas previsibilidades e clichês, Grey’s Anatomy fez uma temporada altamente superior do que as duas anteriores.

Episódios que começam com flashfoward podem ser ou não bons, pois em Grey’s Anatomy nunca se sabe. Felizmente, todas as dificuldades foram vencidas para que o final fosse altamente prazeroso. Para começar, não há nada mais exaustivo do que a grande montanha russa que é o relacionamento de Cristina e Owen. Na vida real Cristina e Owen teriam alguma chance. Querem coisas muito diferentes, a felicidade de um casal também depende da felicidade individual. Claramente Owen se sente infeliz e Cristina não é o suficiente para suprir o que ele precisa.

O divórcio pareceu a melhor coisa que aconteceu entre os dois, mas a ligação de Owen com o menino com certeza fez com que o problema ‘bebê’ ressurgisse. O bom de tudo isso é que Cristina foi a percebeu isso. Desnecessário dizer que Owen é um daqueles que tenta de tudo fazer alguma coisa errada dar certo, então não é de se espantar que ele iria evitar o grande desfecho do relacionamento dos dois com todas as forças.

Falando em desfecho, eis que Arizona realmente fudeu com tudo o que ela conquistou. A atração que ela sentia por Burton já era o suficiente para que isso acontecesse, precisava mesmo relembrar sobre a perna? É aquele tipo de disco quebrado novamente, que atrasou o desenvolvimento de várias histórias no começo da temporada. Já passamos por isso e todo mundo já devia ter superado. O grande momento entre as duas nada mais foi do que Shonda Rhimes vivendo do passado e não conseguindo uma solução eficiente para o problema.

Tudo voltou à queda do avião no final de temporada passada e a decisão de Callie em amputar a perna de Arizona. Elas estavam dando tão certo ultimamente e por isso é difícil aceitar a traição. Se Arizona ainda não estava conseguindo superar a perda da perna e tudo o que aconteceu na floresta, como que só agora que ela resolveu se revoltar contra a esposa? Deveriam ter desenvolvido melhor essa retomada de superação em Arizona nos episódios anteriores para depois ser aceitável uma traição como forma de escape e luta contra suas inseguranças e mágoas.

Insegurança é algo que qualquer telespectador de Grey’s Anatomy sente no final da temporada. O episódio foi bastante tenso e ninguém esteve à salvo. Com o acidente do ônibus, principalmente. Já estava contando nos dedos as quantidades de mortes que aconteceria naquele acidente – a começar por Avery, que na verdade recebeu bastante atenção nesses últimos episódios, mas pela completa preguiça de Shonda Rhimes em dar mais espaço para outros personagens. É claro que um acidente como aquele traria de volta todos os sentimentos de Kepner por Avery, mas ao mesmo tempo que é trágico, também foi engraçado vê-la correndo e chorando procurando Avery, com o noivo bem do lado dela. O pior de tudo é que ele nem percebeu o que estava acontecendo. Isso, porém, não é um problema tão grande, já que todo mundo estará de volta na próxima temporada e alguém vai acabar ficando sem noiva. Avery e Kepner foram feitos para ficarem juntos, mesmo que o mimimi constante da médica sempre irrita.

Logo no final do último episódio dava para perceber que o nascimento do McBaby não seria fácil. Estava contando os minutos para que o episódio acabasse logo para que nada acontecesse, mas é claro que uma cesariana precisava acontecer... No escuro. Quando o bebê não chorou, Meredith estava completamente certa em ficar apreensiva, mas felizmente nada estava acontecendo com o bebê. Aquela queda que ela teve no último episódio que foi o empecilho para horas de cirurgia com Ross.

Achei interessante que Ross ficou bastante excluído por Derek nos episódios passados, só para voltar com tudo e ser um dos salvadores da noite. Meredith talvez nem confie tanto no interno, mas na falta de outro, o menino com problema de emoções e complexo de inferioridade serve. Todos os momentos na sala de cirurgia foram altamente críticos, mas nada ficaria completo sem Bailey, aparecendo para acabar com o sofrimento de todos uma vez por todas.

É engraçado, sempre quando há uma tragédia, alguém aparece com um tipo de epifania. Nesse caso foi Bailey, que estava lutando contra si mesma para deixar seu medo para trás, finalmente ajudando quem precisava. Precisou de Meredith quase morta em uma mesa de cirurgia para que ela acordasse e percebesse que erros são humanos e não há nada que se possa fazer além de tentar o seu máximo para que o que passou não aconteça novamente.

Foi o momento mais lindo, é claro, quando Bailey aparece na sala de cirurgia pela segunda vez para ser abraçada e parabenizada por Derek e Cristina. Mais lindo ainda foi a decisão de Meredith em dar o nome de Bailey para seu bebê, mostrando de uma vez por todas o tanto que a amizade entre as duas perdura entre todos os problemas que já foram enfrentados.

Infelizmente, nada passa despercebido por Shonda Rhimes. Ela deu uma olhada no roteiro do episódio e lembrou que não havia matado ninguém ainda. Claro que os minutos finais foram altamente avassaladores, mas também totalmente previsível. Quando Webber apareceu na sala das máquinas deu para perceber que algo não iria dar certo, principalmente por causa da quantidade de água no local. Ele deveria ter mantido o slogan de que médico não é eletricista e deveria ter deixado o trabalho para alguém mais experiente. A questão é: será que ele realmente está morto, ou foi um pequeno choque cujas consequências podem ser facilmente tratadas? Só em setembro teremos uma resposta. Até lá, vamos agradecer por termos presenciado uma das melhores temporadas de toda a história de Grey’s Anatomy.

Comentários sobre os dois episódios anteriores:

Cristina e Owen:
A mente de Cristina funciona de várias maneiras e sempre é legal quando ela mostra que realmente foi feita para ser uma cirurgiã, conseguindo várias resoluções para qualquer que seja o problema. O único problema disso tudo é que ela já mostrou, novamente, que não é o suficiente para Owen. Convenhamos, porém, que os dois possuem uma boa química, quando, é claro, não estão brigando por causa de um feto que nem existe. A história de Owen com o menino é o tipo de história clichê que todo mundo sabe como vai acabar e o episódio estava caminhando para um desfecho desinteressante. Estava na hora que Owen iria adotá-lo desde o começo e a conversa com Meredith foi só o que faltava para decidir de uma vez por todas o futuro. Porém, o pai resolveu acordar por causa de Cristina (!!) e nada pode ser feito. Perceba que mesmo ao descobrir que o amado queria adotar o menino, Cristina nem pensou direito sobre o que isso poderia significar e se ela estava pronta para algo. Ela está com a cabeça feita e nada vai mudar, ou seja, a ruína do casal realmente está chegando.

Meredith e Derek:
A grande dúvida do fim da temporada é: será que Meredith conseguirá sobreviver e será que o Mcbaby também vai sobreviver? Em se tratando de Shonda Rhimes, tudo é possível, e como a personagem já é conhecida por não conseguir ser muito feliz, a morte seria quase inevitável – pelo menos a morte do bebê. Meredith já provou que não é uma dessas médicas que faz o mínimo, então é totalmente condizente que ela passe os últimos meses trabalhando pesado, participando de cirurgias que podem explodir e não prestar atenção nas escadas. Sem dúvida alguma essa queda seria o problema da Season Finale, afinal ela realmente caiu das escadas e estava grávida. Algo muito ruim poderá acontecer. Derek, por outro lado, não está recebendo tanta atenção, até porque sua mulher que está com toda a carga dramática da temporada. Porém, é sempre divertido vê-lo interagindo com os internos, principalmente Mousey, que realmente é uma pessoa muito peculiar, mas totalmente divertida.

Arizona, Callie e Dra. One Tree Hill:
Sabia que a participação de Hilarie Burton, de One Tree Hill, traria problemas, simplesmente por ela ser de OTH. Arizona nunca foi de se preocupar com as outras mulheres, até porque o corpo de Callie é perfeito para um lesbianismo. Com certeza Burton iria separar as duas, porém, esperava mais de Arizona. Ela deveria ser mais firme, fiel. Arizona traindo é pura sacanagem porque a Torres sofreu muito durante a recuperação dela depois do desastre, não foi algo que prejudicou só a loira.
Bailey:
Mesmo que tenha sido engraçado todos os personagens se desdobrando para conseguirem agradar Bailey e fazê-la sair daquele laboratório, a forma pela qual ela lidou com a situação não foi sensata, até, é claro, descobrimos o que ela estava fazendo. Bailey é uma das melhores médicas do hospital e não é de se espantar que ela tivesse problemas em voltar à ativa, já que foi por culpa dela que vários pacientes morreram. Às vezes o casamento dela passa batido, uma vez que eles mal se comunicam, mas se tivesse alguém para ajudar Bailey a sair daquele sofrimento com certeza seria seu amado.

Karev e Jo:
A cena final do antepenúltimo episódio com certeza foi chocante, mas nem tão chocante após mostrarem aquela cena no hospital em que Jo e o Marcel de The Originals brigam feio, bem perto um do outro. Também foi previsível o começo do outro episódio, em que mostrava Karev chamando Derek para cuidar de Marcel, todo cheio de porrada. É claro que Jo que fez aquilo, afinal fomos muito bem informados desde sempre que ela era do ‘gueto’. Karev, porém, é burro em tentar levar a culpa pela menina. Cada um precisa se responsabilizar pelas próprias ações e Karev já devia parar de ficar correndo atrás dela por causa de seu histórico com mulheres desajustadas.

Kepner, Jackson e avulso:
Concordo que o avulso é um ÓTIMO avulso, mas Kepner pertence a Jackson, mesmo que os dois tenham seus problemas de comunicação e de virgindade. Desnecessário dizer que o pedido de casamento foi totalmente nonsense, mas é algo que condiz com o novo personagem, considerando que ele é tão estranho igual Kepner. Jackson, por outro lado, andou deixando a interna chocolate de lado por vários dias e mesmo que seja triste que isso tenha acontecido, é claro que todo mundo sabe que isso era inevitável. Ele só está esperando uma chance para descobrir o que realmente está passando dentro da cabeça dos dois e se realmente vale a pena retornar aquele relacionamento que já foi tão conturbado uma vez.

Share:

Disqus for O Mundo das Séries

BTemplates.com

Labels

Blog Archive